Paulo Guedes vai congelar salário mínimo

“O golpe é contra o povo e contra a nação”.

Até o Temer reconheceu… a Janaína Pascoal… o MBL

Veja o que disse Dilma Roussef dia 31 de agosto de 2016:

“O golpe é contra os movimentos sociais e sindicais e contra os que lutam por direitos em todas as suas acepções: direito ao trabalho e à proteção de leis trabalhistas; direito a uma aposentadoria justa; direito à moradia e à terra; direito à educação, à saúde e à cultura; direito aos jovens de protagonizarem sua história; direitos dos negros, dos indígenas, da população LGBT, das mulheres; direito de se manifestar sem ser reprimido”.

O Tijolaço do nosso querido Fernando Brito trouxe uma matéria que vai ajudar a elucidar para você que ainda não enxergou o golpe contra você mesmo.

“A volta da CPMF não “colou”.

E não vai “colar”.

A nova ideia lançada pela equipe de Guedes: é a de congelar, até mesmo sem a correção inflacionária, o valor do salário-mínimo.

Emendar a Constituição para retirar dela a cláusula de correção inflacionária o piso salarial dos brasileiros.

Ajuste fiscal “na veia”, atingindo em cheio os trabalhadores mais humildes, idosos, pensionistas, milhões daqueles que já quase nada têm.

À previsão de hoje, perto de 40 reais “por cabeça” a cada mês, de cada um dos 50 milhões de brasileiros que vivem de um salário mínimo ou menos.

12,3 bilhões de “economia”.

Essa gente ultrapassou todos os limites da crueldade.”

Percebeu?

O salário mínimo é uma das mais eficientes formas de distribuir renda.

Mas…

Em abril Bolsonaro acabou com a política de valorização do salário mínimo.

Agora Guedes ameaça congelar o salário mínimo.

De acordo com o Dieese, estima-se que 48 milhões de pessoas têm rendimento referenciado no salário mínimo.

Quando subiu para R$ 998, em 2019, o incremento de renda na economia foi de R$ 27,1 bilhões. Na arrecadação tributária sobre o consumo, esse incremento foi da ordem de R$ 14,6 bilhões.

O golpe que o Temer afirmou que existiu, que a Janaína Pascoal também afirmou que existiu foi contra você trabalhador e trabalhadora.

FONTE:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *