Ministra defende não usar verba para reflorestar: ela se regenera sozinha

Tereza Cristina, Ministra da Agricultura, em evento na Fiesp hojeImagem: Roberto Casimiro/Fotoarena/Estadão Conteúdo

A ministra da agricultura, Tereza Cristina, afirmou hoje que o dinheiro prometido pelo G7, o grupo de países mais industrializados do mundo, não deve ser usado para o reflorestamento da Amazônia. De acordo com ministra, deputada licenciada da bancada ruralista, basta deixar que a mata se regenere sozinha. “Acho que reflorestamento não é no caso. O Brasil tem 66% da sua vegetação nativa preservada. Basta você, em alguns lugares, onde for importante, deixar que a floresta se regenere. A gente tem muitos casos aí onde, de maneira ilegal, alguns grileiros abriram muitas áreas no passado e que a floresta hoje já está regenerada”, disse Tereza Cristina após reunir-se com o Ministro da Agricultura, Floresta e Pesca do Japão, Takamori Yoshikawa na Fiesp, em São Paulo.

Mais cedo, Tereza Cristina criticou a imprensa pelo que chamou de “histeria” provocada pelas queimadas na Amazônia que, segundo ela, são algo normal. “Acho que toda a ajuda é bem-vinda. Se a Amazônia realmente é uma área importante para o mundo, acho que essa ajuda é muito bem-vinda. Desde que o Brasil possa decidir quais iniciativas são importantes para a preservação da Amazônia”, defendeu a ministra, sobre o uso do dinheiro emergencial do G7.

De acordo com a ministra, “20 milhões de pessoas moram naquela região. Para preservar, você tem que dar condições para que estas pessoas tenham seus negócios, vivam de maneira digna, para ter preservação. Com miséria, você não preserva nada”, destacou.

Dia de fogo no Pará

Perguntada sobre as investigações do dia do fogo no Pará, quando um grupo de agricultores teria se organizado por WhatsApp para promover focos de incêndio na região, Tereza afirmou que “quem fez mal feito tem que pagar”.

“Eu não sei se é sobre produtores rurais, eu não sei nada sobre o dia do fogo. Isso Cabe a quem está investigando isso, que é a Polícia Federal. E quem fez mal feito tem que pagar, seja lá o que for. Sei que existe esse indício, mas isso tem que ser apurado e As responsabilidades serão colocadas a quem couber. Não posso adiantar nada antes de saber a conclusão”, afirmou.

A ministra ainda criticou ainda reportagens veiculadas fora do Brasil e fotografias falsas dizendo que a “Amazônia está em chamas”. “Fizeram uma alarde enorme como se fosse a primeira vez que a gente tem queimadas, um incêndio muito maior do que se teve no passado”, disse.

Tereza Cristina pontuou ainda que as queimadas são feitas por pequenos produtores rurais para abrir espaço para poder plantar, que são “áreas individualmente pequenas, mas que, em uma época dessa, realmente pode trazer problemas”.

FONTES: https://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/redacao/2019/08/26/ministra-defende-nao-usar-verba-para-reflorestar-ela-se-regenera-sozinha.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *