Jean Wyllys será professor em Harvard (EUA) e deixa bolsonaristas furiosos

Enquanto Wilson Witzel mentiu em seu currículo sobre ter estudado em Harvard, ex-deputado Jean Wyllys vai dar aulas na instituição e deixa bolsonaristas furiosos

O ex-deputado federal Jean Wyllys iniciará uma nova etapa de sua vida acadêmica. Ele dará aulas na Universidade de Harvard (EUA), uma das mais conceituadas do mundo, sobre fake news e os discursos de ódio contra minorias sexuais e étnicas.

As aulas acontecerão no Instituto de Pesquisas Afro-Latino. Na tarde desta segunda-feira (9), Jean Wyllys fez uma postagem em sua conta no Instagram falando sobre a novidade. Na publicação, ele citou uma canção da Maria Bethânia, composta por Jorge Portugal:

“Quanto mais a gente ensina mais aprende o que ensinou! (…) Pois trocar vida com vida é somar na dividida, multiplicando o amor, pra que o sonho dessa gente não seja mais afluente do medo em que desaguou”, escreveu.

O Instituto de Pesquisas Afro-Latino é a primeira instituição nos EUA a se dedicar à história e cultura de pessoas descendentes de africanos na América Latina e Caribe.

O curso em Harvard conta com o apoio da Open Society, fundo de investidores beneméritos e que impulsiona projetos de justiça social pelo mundo.

Como não poderia deixar de ser, a admissão de Jean Wyllys em Harvard provocou reações diversas nas redes sociais. Enquanto simpatizantes parabenizaram o ex-parlamentar, detratores tentaram menosprezar o feito e chegaram até a atacar a renomada instituição de ensino.

Alguns internautas críticos do ex-deputado ainda sugeriram que se criasse uma corrente com envios de e-mails à Harvard. Segundo essas pessoas, a instituição não saberia quem é Jean Wyllys “de verdade” e precisaria ser alertada.

Wilson Witzel

Harvard não é para qualquer um. O governador Wilson Witzel (PSC) colocou em seu currículo que, em 2015, iniciou um doutorado em Ciência Política na Universidade Federal Fluminense (UFF), com um período de intercâmbio (“sanduíche”) em Harvard, nos Estados Unidos.

Witzel, no entanto, nunca cursou a universidade americana e, segundo a UFF, onde ele é doutorando, não se inscreveu para concorrer à bolsa para estudar em Harvard. A informação foi revelada pelo jornal O Globo.

Na descrição do currículo, Witzel teve a cara de pau de publicar o nome do orientador na universidade de Harvard: Mark Tushnet. Quando a pessoa preenche o currículo na plataforma Lattes, ela assina um termo de responsabilidade sobre a veracidade das informações declaradas.

Desmascarado, o governador retirou da plataforma Lattes a informação sobre Harvard e disse que apenas ‘incluiu a possibilidade de aprofundar os estudos em Harvard’ em um doutorado ‘sanduíche’.

FONTE: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/09/jean-wyllys-professor-harvard.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *