Gilmar: STF não pode ter medo de julgar Moro

Moro promoveu linchamentos e em função disso precisa ser punido.

Flávio Dino falou: Lula tem que ser solto em no máximo 3 semanas, não é um favor é um direito.

Lula será condenado em um segundo processo?

No processo do Sítio de Atibaia que também nunca foi de Lula?

Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal, concedeu entrevista na noite deste sábado a Thais Arbex, da Folha e Tales Faria, do UOL.

O ministro já sinalizou que, em outubro, poderá retomar o julgamento da suspeição de Sérgio Moro na condução do processo do “triplex do Guarujá”.

Segundo o ministro Gilmar, a popularidade de Moro não pode ser um elemento decisivo para o STF tomar suas decisões: “se um tribunal passar a considerar esse fator, ele tem que fechar”, afirmou.

Gilmar já declarou, em diversas ocasiões nos últimos meses, que a Lava Jato pode ter manipulado delações e que a operação é um “Estado Paralelo”.

Na entrevista, Gilmar Mendes voltou a atacar a força-tarefa de Curitiba, em especial o procurador Deltan e Moro, atual ministro da Justiça e ex-Juiz:

“Deltan não pode monetizar a Lava Jato!”, decretou Gilmar, sobre o projeto de Dallagnol de lucrar com as palestras derivadas da operação.

“O que é monetizar a Lava Jato? Significa ganhar dinheiro com a Lava Jato. Esse crime tem nome: isso se chama corrupção!”

O ministro tratou, também sobre o vazamento das conversas entre Lula e Dilma – o grampo feito em março de 2016 e divulgado para o jornal nacional.

“Houve revelação. E parece que os colegas hoje percebem a gravidade, que na verdade se estava gerando o ovo da serpente. Pessoas inexperientes que se deslumbraram, sem controle, porque não havia controle sequer dos órgãos correcionais. Eles começaram a delirar, no sentido literal do termo.”

FONTE:

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/09/stf-teria-que-fechar-se-considerasse-popularidade-de-moro-ao-julga-lo-diz-gilmar.shtml
https://www.conversaafiada.com.br/brasil/gilmar-stf-nao-pode-ter-medo-de-julgar-moro

IMAGEM:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *